Parecemos icebergs

março 30, 2018


Saiu numa manchete de um jornal um artigo de Nuno Markl a dizer que "as redes sociais e a internet soltam o monstro que há em nós". Isto veio à tona com uma conversa que eu e o meu namorado estávamos a ter no carro, numa quinta-feira à noite, em plena Vasco da Gama, encalhados no trânsito.

As pessoas libertam-se mais por detrás dos ecrãs talvez por não estarem frente a frente, ou talvez por poderem pensar e repensar o que dizer, apagar e reescrever. São mais libertas e conseguem manter uma conversa mais fluída e, muitas das vezes, sincera. Acontece que por ventura hoje em dia temos a dificuldade de conviver e expressarmo-nos perante os demais, as amizades já não têm a mesma garra, assim como os amores. Por mais que puxemos pelas pessoas, muitas parecem responder só porque sim, ficando confinadas a uma conversa pesada de "sim", "não" e "mais ou menos". As pessoas conversam sem vontade, parece que não têm o vocabulário necessário para argumentar, enquanto que transparecem o contrário nas redes sociais, onde conseguem criar uma vida paralela.

O assunto veio à superfície precisamente por eu não ter "vocação" para ter amigas. Não consigo ter conversas acerca da vida dos outros a toda a hora, e a bisbilhotar o instagram deste ou daquele ao invés de ir para um sítio bonito e conversar sobre alguma coisa ou coisa nenhuma. Não consigo ir para locais agradáveis para estar a tirar fotografias a toda a hora porque o outro sente a necessidade de ter aprovações no instagram, ou estar numa esplanada para ficar encalhado nos ecrãs dos telemóveis - não consigo nem quero.

Parecemos icebergs, ao ponto em que só mostramos uma pontinha de nós no dia a dia, e o resto fica encoberto por um mar de redes sociais.

5 comentários:

  1. Gosto de partilhar algumas fotografias mas várias ficam somente comigo. Há memórias que devemos manter em privado. Infelizmente as redes sociais libertam mesmo o monstro que vive em nós. Teve uma blogger, que quando comprei um domínio mandou-me mensagem meio que a "reclamar" e tive mesmo de deixar o domínio devido a isso. Infelizmente há quem pense que manda na vida dos outros. Beijinhos

    www.carolinafranco.pt

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito do post, verdade nua e crua. Infelizmente tornou-se uma realidade do nosso dia-a-dia..

    ResponderEliminar
  3. Adorei este texto e identifiquei-me bastante. Antes tinha até mais facilidade em ter amizades com rapazes em vez de raparigas, mas hoje em dia, já com ambos os sexos, é muito raro encontrar alguém que não passe para lá do ecrã.
    Tive a oportunidade de ler mais alguns dos teus textos e estou a adorar, já subscrevi. Também tenho um blog https://jaddann.blogspot.pt/ caso queiras passar por lá a ver.

    ResponderEliminar
  4. Texto cru, verdadeiro e assustador...

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.