O que o meu amor me ensinou

maio 31, 2018

O meu amor pode ser meio louco e sem noção, mas com ele aprendi a olhar para tudo à minha volta de uma maneira diferente e mais profunda. Sinto que sempre pertenci à natureza num todo, e a pessoa que hoje tenho a meu lado pegou-me na mão e levou-me a conhecer os campos da sua infância, bem como outros lugares que descobrimos juntos, e mostrou-me o significado de se ser alguém perdido por entre as árvores mais altas. 

Nunca gostei muito de flores, sempre achei demasiado cliché e comum - preferia que me oferecessem pastéis de nata se o intuito fosse surpreender. Mas, com a passagem do tempo, senti a necessidade de um romantismo à moda antiga, que condissesse com o nosso estilo de vida. Ele insistia que não iria matar uma flor para que eu a tivesse na mão apenas por capricho, durante alguns momentos, antes de ela murchar. 

Apesar de tudo, ele chegou a oferecer-me flores, - rosas, as mais românticas - mas depressa o novo hábito se desfez, pois agora quem não queria que andasse a matar flores por mim era eu. 


Hoje o meu amor oferece-me sementes. E estamos bem assim. 
 

5 comentários:

  1. Este blog está nos meus favoritos devo dizer, adoro como escreves!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão bommm!! Fico tão contente por saber que te refugias por aqui ❤

      Eliminar
  2. Que lindo amor... sementes é uma excelente forma de surpreender e de fazer crescer vida
    Adorei a ideia :)

    Bjinhos
    Cris
    www.crisloureiroblogs.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, às vezes o amor muda-nos mesmo a perspetiva das coisas :)

      Eliminar
  3. Awwn que amor! 😍 Não gosto de flores, logo as sementes me conquistaram! Beijinhos 💙

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.