Mostrar como somos

quinta-feira, 5 de julho de 2018


Vivemos numa sociedade difícil, não é? Onde temos que nos impor e destacar perante os outros se não queremos ficar para trás. Temos que nos mostrar o mais simpáticos e humildes que conseguimos ser, o mais compreensivos e tolerantes, o mais felizes e confiantes, entre outras qualidades que nos dá imenso jeito que os outros notem. Mesmo que, na realidade, a vida seja um pouco chata e dura, e a simpatia por vezes não fale tão alto, assim como a tolerância não exista em momentos de cansaço, tal como a felicidade nem sempre se nota nas nossas caras. Mas já diziam as descrições de instagram: "apesar de tudo, com um sorriso no rosto".

É importante sabermos focar-nos na nossa vida e em tudo aquilo que temos pela frente - no que queremos ser, no que queremos fazer, onde queremos ir. Na minha opinião, as redes sociais só vieram a atrapalhar esta jornada que se tornou numa competição fotogénica e montra para o tipo de vida ideal. Agora refletindo de um modo mais profundo sobre a questão, com certeza que estás a ler isto sozinho e não há ninguém a ouvir os teus pensamentos para te julgar: achas mesmo que é necessário expores o teu corpo dessa maneira? Achas mesmo que tens mais Amigos por andares com a última gama automóvel? Será que é necessário comprar aquelas calças que te custam os olhos da cara apenas porque agora é tendência? Será que é mesmo necessário usares um decote tão grande ou uma saia tão curta? Estás confortável - sendo realmente quem tu és - seguindo os outros?

É preciso os outros saberem que tens as curvas todas no sítio ou que tens um iphone tal como toda a gente? Se formos pensar realmente nisto, conseguimos perceber que as ligações entre as pessoas são meramente alimentadas de aparências e pouco mais. Agora uma frase ainda mais cliché: o que somos enquanto pessoa neste mundo não se define na quantidade de coisas que temos, nem pelo corpo que aperaltamos. Aí apenas podemos dizer que esse alguém tem um carro brutal, a última saia da moda, um corpo que dá nas vistas, o iphone que quem quer ser gente deve ter. E tudo isso é bom, sim. Mas pensa, não te sentirias melhor se as pessoas te definissem pelo que tu és? Alguém simpático, divertido, amigo, trabalhador, de confiança. Não sabia melhor?

Join the conversation!

  1. Infelizmente, a maioria das pessoas vivem de aparências. Em casa tenho o excelente exemplo disso mesmo. Os meus pais vivem imenso de aparências e só deus sabe como são na realidade. Acho que as redes sociais vieram mesmo deixar as coisas piores. todos querem seguir tendências, ter as últimas modas lançadas em casa e esquecem-se da sua essência, da sua personalidade e do quanto as outras coisas deveriam estar em primeiro lugar, em vez de bens materiais banais. Como sempre, adorei a reflexão. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro as tuas visitas ao blog! Tão bom saber que estás desse lado ❤️ nunca percas a tua essência, um beijinho

      Eliminar
    2. Continuarei sempre cá. Adoro sempre o que escreves. 💛 nunca irei perdê-la. beijinhos

      Eliminar

Instagram

© Joana Rito | O Blog. Design by FCD.