Na estante: As Flores Perdidas de Alice Hart

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019


Um romance sobre as histórias que deixamos por contar e sobre as que contamos a nós próprios para sobrevivermos.
Alice tem nove anos e vive num local isolado, idílico, entre o mar e os canaviais, onde as flores encantadas da mãe e as suas mensagens secretas a protegem dos monstros que vivem dentro do pai.
Quando uma enorme tragédia muda a sua vida irrevogavelmente, Alice vai viver com a avó numa quinta de cultivo de flores que é também um refúgio para mulheres sozinhas ou destroçadas pela vida. Ali, Alice passa a usar a linguagem das flores para dizer o que é demasiado difícil transmitir por palavras.
À medida que o tempo passa, os terríveis segredos da família, uma traição avassaladora e um homem que afinal não é quem parecia ser, fazem Alice perceber que algumas histórias são demasiado complexas para serem contadas através das flores. E para conquistar a liberdade que tanto deseja, Alice terá de encontrar coragem para ser a verdadeira e única dona da história mais poderosa de todas: a sua.

Não sei se é por ultimamente andar fascinada por flores. Um livro repleto de flores, de ilustrações bonitas e de flores nas palavras, que combinação maravilhosa.

É tão bom começar o livro na pele de uma criança, não me lembro do último livro que li em que isto acontece, mas é das coisas mais bonitas na escrita: a história revela-se de maneira leve, pura, intuitiva, sem más intenções, inocente e cheia de ternura. Desde o início que senti um quentinho no peito com esta história, e verdade seja dita que estava com altas expectativas - e Holly Ringland superou-as.

"Parece um conto de fadas" era o que me passava pela cabeça cada vez que lia. O aroma das flores, o mar, os livros, os desejos de uma criança. Todos os significados tão bem desenhados nesta história bem como todo o equilíbrio entre drama e finais felizes. Entre altos e baixos na medida certa. Todos os sítios para onde Alice foi e para onde me levou com ela. Parece mesmo um conto de fadas, não repleto de bonança, mas de coisas bonitas pelo meio de detalhes que nos deixam os olhos cintilantes como estrelas.

Fiquei com a sensação de que isto é mais do que um livro, mais do que uma história, nunca tinha lido um livro tão bonito, com tanto significado florido. No fim percebe-se o porquê das "flores perdidas" de Alice Hart. Que grande criação, Holly Ringland. Este vai para a minha estante do peito, e vai-me passar pelo colo muitas mais vezes.



Os meus excertos preferidos: 
"Pela descrição de Agnes, Alice imaginava que uma biblioteca seria um sereno jardim de livros onde as histórias brotavam como flores." 
"(...) descansava no sofá, vendo o sol acabar de pintar as nuvens e passar o seu pincel às estrelas."
 

Join the conversation!

  1. Estou a precisar de ler um livro leve, cheio de luz e esperança. Um livro que me anime a alma com ternura e me aqueça o coração. Acho que este será a escolha certa para isso mesmo, obrigada querida Joana por me dares a conhecer o livro que tenho procurado e não encontrava!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que também andava à procura dele e nem sabia! Acho que é daqueles livros que as mães devem apresentar às filhas como o primeiro livro de sempre! Com uma história bonita e coisas boas a reter 💖

      Eliminar
  2. Ofereceram-me este livro no Natal e espero lê-lo em breve. Acho que a edição tem detalhes lindíssimos. Também quero que entre na minha estante do peito :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também foi a minha prenda de natal, uma das melhores... ❤

      Eliminar

Instagram

© Joana Rito | O Blog. Design by FCD.